Arte moderna e contemporânea, arqueologia, biologia e etnografia, são algumas das áreas disponíveis nos diferentes equipamentos culturais do concelho, todos com entrada gratuita. Conheça aqui os mais populares.

Em Boticas todos os equipamentos culturais têm entrada gratuita.

Centro de Artes Nadir Afonso

Centro de Artes Nadir Afonso. Foto Fernando Guerra/Fundação Nadir Afonso

Inaugurado em 2013, o Centro de Artes Nadir Afonso, é o resultado de uma parceira entre a Câmara Municipal de Boticas e a Fundação Nadir Afonso.

A parceria entre as duas entidades permite aos botiquenses, em particular, e a todos os visitantes de Boticas, fruir gratuitamente de uma parte do espólio da família do pintor, e de parte do acervo da Fundação.

Centro Europeu de Documentação e Interpretação da Escultura Castreja

CEDIEC. Foto TR/VB

O Centro (CEDIEC) tem como objetivo promover trabalhos de escavação arqueológica e investigação, em sítios de selecção, com especial destaque para o Castro do Outeiro Lesenho, e outros congéneres que, articulados em rede, possam esclarecer os parâmetros essenciais do desenvolvimento cultural das comunidades indígenas do Ocidente peninsular. 

PUB

Museu Rural de Boticas

Museu Rural de Boticas. Foto TR/VB

Próximo do CEDIEC, o Museu Rural de Boticas, é um dos pólos constituintes do projeto Ecomuseu de Barroso, constituído por vários pólos dispersos territorialmente pelos concelhos de Boticas e de Montalegre.

Tem como objetivo, proporcionar uma percepção da identidade singular de cada lugar, e das várias formas que os habitantes do Barroso tiveram e têm de interagir, com o seu ambiente territorial e cultural.

Casa Museu Quinta do Cruzeiro

Casa Museu Quinta do Cruzeiro. Foto TR/VB

A casa de habitação da Quinta do Cruzeiro, foi em tempos parte de uma estrutura agrária mais vasta, composta por casais dispersos, que serviam para o sustento dos proprietários e criados. Desta estrutura agrária apenas permanecem, nos dias de hoje, os terrenos adjacentes à casa.

Ao percorrer os diferentes espaços poderá ficar a conhecer alguns aspectos da vida social da casa e do trabalho na quinta e aldeia de Covas do Barroso.

Centro de Interpretação do Parque Arqueológico do Vale do Terva

CIPAVT. Foto TR/VB

O PAVT é um parque arqueológico com carácter geográfico contínuo, que integra um conjunto de valores culturais e naturais, que se constituem como recursos relevantes e representativos das diversas paisagens que se conformaram no território, incorporando infraestruturas de visitação, como o Centro de Interpretação, em Bobadela, circuitos interpretados e plataformas de observação dos recursos patrimoniais.

O Centro Interpretativo (CIPAVT), localizado na aldeia de Bobadela, é a entrada para o PAVT – os conteúdos expositivos fazem a ponte para a fruição da paisagem e do património in loco, proposta através de roteiros de visitação.

Fontes: Centro de Artes Nadir Afonso; Centro Europeu de Documentação e Interpretação da Escultura Castreja; Museu Rural de Boticas; Casa Museu Quinta do Cruzeiro; Parque Arqueológico do Vale do Terva.

PUB
Tiago Rodrigues

Tiago Rodrigues é designer gráfico e editor de arte da UMinho Editora. Fundou em 2017 o Visit Boticas, onde desempenha várias funções, desde a gestão e direção editorial, ao design e produção de conteúdos.