A zona de extração mineira das Batocas desenvolve-se entre as ribeiras de Ardãos e de Sangrinheira, estendendo-se por cerca de 550 m no sentido N/S e cerca de 260 m no sentido E/O.

Lagoa das Batocas. Foto TR/VB

Atualmente recoberta por densos bosques de carvalhos e pontuada por pequenas lagoas, a zona de mineração é definida por extensas ‘cortas’ e trincheiras, identificando-se nos taludes laterais algumas entradas de galerias.

Próximo da exploração encontra-se o povoado mineiro das Batocas.

Povoado romano das Batocas. Foto TR/VB

Sobranceiro à exploração encontra-se o povoado mineiro romano das Batocas, atualmente a ser objeto de estudos arqueológicos.

Saiba mais sobre o Parque Arqueológico do Vale do Terva (PAVT) aqui.

Fonte: Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho 2014, Rotas do Parque Arqueológico do Vale do Terva, Câmara Municipal de Boticas, Boticas.

PUB