Road trip no Barroso Património Agrícola Mundial

Percorrer o Barroso, é viajar à simplicidade, no seio de um ambiente rural único, onde a forma tradicional de trabalhar a terra e tratar o gado foi reconhecida com a declaração da região do Barroso, como Património Agrícola Mundial, pela  Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura.

 

“Road trip no Barroso Património Agrícola Mundial” é o primeiro de dois roteiros para fazer em estrada dedicados ao alto Barroso. No percurso com cerca de 65 km ficará a conhecer algumas das aldeias mais emblemáticas do Barroso e desfrutar de algumas das vistas mais espetaculares. Siga em marcha lenta e desfrute da paisagem.

Inicie o roteiro na vila de Boticas e siga para a Carreira da Lebre (direção Salto).

Na Carreira da Lebre faça um pequeno desvio para visitar a aldeia de Codessoso, uma das mais antigas do Barroso e onde foram rodados vários filmes. Caminhe pelas ruas estreitas e aprecie as grandes casas de tipo senhorial. Algumas dessas casas foram adaptadas para turismo rural.

A Casa Pastoria Mourão, ou o casarão, como é conhecido em Codessoso, é uma das mais tradicionais e bem frequentadas do concelho.

 

Casa Pastoria Mourão.

 

Regresse à Carreira da Lebre e siga em direção à aldeia de Carvalhelhos, via estrada M520.

A maior parte dos cafés das aldeias não serve refeições e os restaurantes funcionam por marcação pelo que sugerimos que leve um lanche.

Na Boutique do Pão, a casa do Bolo Real Barrosão, um bolo que combina a tradicional massa do bolo rei com o melhor fumeiro do Barroso, encontra também a Broa de Centeio, o tradicional Folar Transmontano, a Bôla de Carne e pastelaria variada.

Ao sair da Carreira da Lebre encontra-se o Boticas Parque. Um dos locais mais visitados e o ideal para programas em família. O parque associa biodiversidade e natureza com conhecimento e lazer, apresentando-se como um importante núcleo ativo na promoção da conservação e preservação do meio ambiente.

 

boticas-parque, camara-de-boticas-avanca-com-centro-de-observacao-da-natureza-do-barrosoBoticas Parque.

 

Ao entrar em Carvalhelhos, um acesso à direita leva-o às termas das Caldas Santas. Passeie calmamente pelo parque, enobrecido por vegetação luxuriante e talhado por uma linha de água. Poderá provar a água termal durante a época balnear. A estalagem e os balneários encontram-se encerrados.

Próximo das caldas encontra-se o Castro de Carvalhelhos, um dos povoados da Idade do Ferro mais importantes do Barroso, classificado como ‘Imóvel de Interesse Público’ em 1951.

 

Castro de Carvalhelhos.

 

Mais adiante, a poucos kms de Carvalhelhos, encontra-se a aldeia de Lavradas. Percorra a rua principal de uma das aldeias mais coloridas de Boticas. Um hino à criatividade e ao desenrasque, numa região, onde a palavra reciclagem, não é moda, nem novidade. Ao chegar ao largo do pelourinho regresse à estrada M520 e prossiga o roteiro em direção a Atilhó.

 

Aldeia de Lavradas.

 

Perdida nos pormenores do planalto barrosão, distingue-se a aldeia de Atilhó, isolada em plena serra. As edificações distribuem-se aconchegadamente sobre os arruamentos estreitos. As reduzidas dimensões das janelas denunciam as baixas temperaturas do local, especialmente quando fica isolado por expressos nevões.

Continue a subir o planalto até à aldeia de Alturas do Barroso, a mais alta do concelho, situada a mais de 1000 metros de altitude.

Aprecie as construções rurais, com janelas pequenas e paredes sólidas em granito. O andar térreo é geralmente utilizado para arrumar as alfaias agrícolas e para o gado. Algumas habitações mantêm o soalho tosco em madeira, pregando diretamente a vigas do mesmo material, onde pelas frinchas se facilitava a transferência do calor desde a corte dos animais para o piso superior.

 

Aldeia de Alturas do Barroso.

 

 


PUB

 

 

Siga em direção a Vilarinho Seco, uma das aldeias mais bem preservadas de todo o Barroso. Aqui, aprecie o cruzeiro, as várias fontes de água, o forno do povo, a capela e pequenos canais de drenagem abertos no granito.

 

vilarinho-seco

Aldeia de Vilarinho Seco.

 

Ao abandonar a aldeia, para Sul, depare-se com um pequeno moinho hidráulico. Continue na direção da estrada R311 enquanto disfruta de uma das 10 vistas mais espetaculares de Boticas.

 

Vilarinho Seco.

 

Ao chegar à R311 siga em direção a Covas do Barroso (vire à esquerda). Na estrada M519 aprecie mais uma das 10 vistas mais espetaculares de Boticas, particularmente bonita na primavera, com manchas de cor a perder de vista.

Em Covas do Barroso visite a a Igreja de Santa Maria de Covas, o mais notável exemplar da arquitetura religiosa de estilo românico-gótico da região do Barroso, datável do século XIV, e o Museu Quinta do Cruzeiro (aberto ao público nos meses de julho e agosto), onde poderá ficar a conhecer alguns aspectos da vida social da casa e do trabalho na quinta e aldeia.

Marcações de visitas todo o ano (grupos) pelo telefone (+351) 276 410 200.

 

Igreja de Santa Maria de Covas.

 

De volta à estrada, siga em direção à aldeia de Campos, de onde poderá desfrutar de uma vista privilegiada sobre um dos povoados da Idade do Ferro mais importantes do noroeste peninsular, não só pela sua dimensão e monumentalidade, mas sobretudo por lhe estar associado o maior conjunto de estátuas de guerreiros galaico-romanos.

 

Castro do Outeiro Lesenho.

 

Faça uma pequena caminhada ao Castro do Outeiro Lesenho, que coroa o monte do mesmo nome a 1078 metros de altitude, dominando uma ampla paisagem que abarca praticamente todo o concelho de Boticas. Este local faz parte da lista “As 10 vistas mais espetaculares de Boticas“.

De volta à estrada R311 regresse calmamente até à vila de Boticas enquanto desfruta da paisagem.

 

Visit Boticas / 19/07/2019 / Fontes: Câmara Municipal de Boticas 2006, Preservação dos Hábitos Comunitários nas Aldeias do Concelho de Boticas, Boticas; Associação de Municípios do Alto Tâmega 2007, Atlas/ Guia das Rotas do Alto Tâmega, Chaves;  Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho 2016, Boticas o Espírito dos Lugares, Boticas. / Fotografia: TR

 


PUB