Fortificados da Idade do Ferro de Boticas

A exposição, inédita, dá a conhecer 21 povoados fortificados associados à Idade do Ferro, todos com vestígios de muralhas, ruínas de edificações nas plataformas interiores e espólio cerâmico. Alguns serão de fundação anterior, talvez da Idade do Bronze, como evidenciam algumas cerâmicas manuais e o achado de peças de bronze (Castro do Brejo), e outros conheceram uma ocupação que parece ter-se prolongado até ao tempo do domínio Suevo-Visigótico.

Dominando as principais vias naturais de comunicação e abrangendo nas suas envolventes as férteis veigas e alvéolos das bacias dos rios Terva e Beça, alguns destes povoados terão sido lugares centrais no quadro do povoamento proto-histórico da região, para a qual se referenciam vários populi indígenas. Um desses lugares centrais era, inequivocamente, o povoado do Lesenho, de onde provêm quatro estátuas de guerreiros galaico-romanos.

 

Guerreiros galaico-romanos – DR.

 

Os povoados fortificados de Boticas constituem um conjunto de elevado valor patrimonial e de grande interesse científico, oferecendo amplas possibilidades de valorização. A sua proteção, conservação e valorização têm constituído uma prioridade do município, designadamente através da integração de alguns deles na Rede de Castros do Noroeste, como acontece com o Castro de Lesenho e de Sapelos, este último ainda em apreciação.

A exposição, realizada em paralelo ao “Simpósio Internacional: Interações Culturais e Paisagens em Mudança na Europa (séc. 2º a.C. / séc. 2º d.C.)”, inaugura no Claustro dos Paços do Concelho, dia 11 de outubro às 18h30.

 

Visit Boticas / 19/09/2018 / Fonte: Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho 2018, Catálogo da exposição paralela ao “Simpósio Internacional: Interações Culturais e Paisagens em Mudança na Europa (séc. 2º a.C. / séc. 2º d.C.)”, Braga. / Fotografia: Castro do Outeiro Lesenho – UAUM

SUGERIR CORREÇÃO

 


PUB