Festas e Romarias

São várias as festas e romarias que se realizam, ao longo do ano, no concelho. Aquilo que genericamente designamos como Festas e Romarias, assume, na prática, uma variedade de formas: refeição comunitária, ou apenas distribuição de pão e vinho aos fiéis; celebração religiosa, geralmente seguida de procissão com a imagem do santo à volta da igreja ou capela; celebração religiosa seguida de uma procissão com vários andores e uma forte componente profana, com arraiais populares; ou festas que geralmente se resumem a celebrações religiosas.

 

Festa de S. Sebastião (Vila Grande).

 

As refeições comunitárias e as festas em que se distribui pão e vinho realizam-se no inverno. Em janeiro em honra de S. Sebastião (Alturas do Barroso, Atilhó, Cerdedo, Vila Grande e Viveiro) e em fevereiro em honra de S. Brás (Beça). Com excepção da Festa do Carolo de Santo António, em Covas do Barroso, que se realiza na primavera.

 

Procissão em honra de S. Brás (Beça).

 

É no fim da primavera e durante o verão que se realizam a maior parte das festividades, geralmente em honra do patrono de cada uma das localidades.

Grande parte das festividades que se realizam no mês de junho são dedicadas a Santo António, santo protetor dos animais. Estas, consistem na celebração de uma missa, em honra do santo, no final da qual se procede ao leilão das oferendas dos fiéis, revertendo o dinheiro para o santo. Em Atilhó, após a celebração religiosa, segue-se a bênção do gado.

 

Igreja de Nossa Senhora da Livração (Boticas).

 

O mês de agosto é aquele em que mais festas e romarias se realizam. Para isso, contribui o regresso dos emigrantes, que por esta altura enchem as aldeias de vida, em múltiplos e variados arraiais populares.

 

Fonte: Câmara Municipal de Boticas 2006, Preservação dos Hábitos Comunitários nas Aldeias do Concelho de Boticas, Boticas / Fotografia: TR

SUGERIR CORREÇÃO

 


PUB