Festas e Romarias

São várias as festas e romarias que se realizam, ao longo do ano, no concelho. Aquilo que genericamente designamos como Festas e Romarias, assume, na prática, uma variedade de formas: refeição comunitária, ou apenas distribuição de pão e vinho aos fiéis; celebração religiosa, geralmente seguida de procissão com a imagem do santo à volta da igreja ou capela; celebração religiosa seguida de uma procissão com vários andores e uma forte componente profana, com arraiais populares; ou festas que geralmente se resumem a celebrações religiosas.

 

 

As refeições comunitárias e as festas em que se distribui pão e vinho realizam-se no inverno. Em janeiro em honra de S. Sebastião (Alturas do Barroso, Atilhó, Cerdedo, Vila Grande e Viveiro) e em fevereiro em honra de S. Brás (Beça). Com excepção da Festa do Carolo de Santo António, em Covas do Barroso, que se realiza na primavera.

É no fim da primavera e durante o verão que se realizam a maior parte das festividades, geralmente em honra do patrono de cada uma das localidades.

Grande parte das festividades que se realizam no mês de junho são dedicadas a Santo António, santo protetor dos animais. Estas, consistem na celebração de uma missa, em honra do santo, no final da qual se procede ao leilão das oferendas dos fiéis, revertendo o dinheiro para o santo. Em Atilhó, após a celebração religiosa, segue-se a bênção do gado.

 

 

O mês de agosto é aquele em que mais festas e romarias se realizam. Para isso, contribui o regresso dos emigrantes, que por esta altura enchem as aldeias de vida, em múltiplos e variados arraiais populares.

 

Fonte: Câmara Municipal de Boticas 2006, Preservação dos Hábitos Comunitários nas Aldeias do Concelho de Boticas, Boticas / Fotografia: TR

 


PUB