No concelho de Boticas existem cerca de 240 moinhos de água construídos com o objectivo de garantir a moagem intensiva de todo o centeio da casa rural durante a época das chuvas. Número justificado por uma economia de caráter agro-pastoril e autoconsumo assente tradicionalmente na monocultura do centeio, entrecortada por produções esporádicas de milho.

No concelho de Boticas existem cerca de 240 moinhos de água.

Os moinhos são maioritariamente de rodízio, de pequena dimensão e tecnologia acessível. Este facto, aliado aos direitos privados sobre bens comuns e, nomeadamente aos direitos de água, favoreceu o encontro de soluções de cooperação como os moinhos de horas para utilização colectiva mediante contrapartidas ou os moinhos do povo, genuinamente comunitários.

Existe um número reduzido de azenhas e moinhos de rodízio que foram explorados comercialmente pelos seus proprietários, que retinham uma parte do grão, levado por particulares para farinação, como pagamento (a maquia).

Nas zonas de Boticas, Beça, Carvalhelhos e Codessoso, que correspondem a uma zona de pequena altitude e mais povoada, os moinhos aparecem em número elevado (67 moinhos) e dispersos ao longo das linhas de água.

Fonte: Câmara Municipal de Boticas 2006, Preservação dos Hábitos Comunitários nas Aldeias do Concelho de Boticas, Boticas.

 

PUB