Rota Natura

PAVT

A área do PAVT apresenta uma grande diversidade de biótopos agrícolas, floretais e zonas ripícolas, que potencia a ocorrência de um elenco faunístico diversificado. O conjunto de espécies faunísticas identificado reveste interesse regional e nacional, qualificando este território como uma área importante em termos de prioridades de conservação.

Por sua vez, a grande riqueza florística, incluindo as espécies raras e protegidas, é o resultado do enquadramento biogeográfico e do elevado grau de naturalidade do território do PAVT, que se situa na fronteira das duas grandes regiões Eurossiberiana e Mediterrânica.

Os 480 taxa de plantas vasculares registados são reveladores de uma elevada e preservada diversidade florística, o que confere a esta região uma especial importância.

 

Serra do Leiranco

PAVT / Rota Natura Na cumeada do Leiranco, para além do deslumbramento da paisagem com horizontes a perder de vista, poderá observar espécies florísticas raras e protegidas, alguns endemismos ibéricos, com interesse para a conservação em Portugal, como a gramínea Festuca elegans e a caldoneira (Echinospartum ibericum), a Eryngium duriaei subsp. juresianum, Festuca summilusitana e […]

Galerias Ripícolas das Freitas e Lameiros de Bobadela

PAVT / Rota Natura As galerias ripícolas, normalmente associadas a lameiros, são dominadas pelos amieiros (Alnus glutinosa) nas zonas de baixa e média altitude e pelos vidoeiros (Betula alba) nas zonas de maior altitude. Bem conservadas no vale, as galerias apresentam-se contínuas, com árvores de grande dimensão e por vezes com mais de uma fiada […]

Lagoa do Brejo

PAVT / Rota Natura A Lagoa do Brejo, resultante de uma antiga exploração mineira a céu aberto, constitui atualmente um extraordinário nicho ecológico, onde se conjugam, de um modo muito particular, espécies florísticas e faunísticas de grande valor para o conhecimento da biodiversidade do Vale do Rio Terva. A Lagoa do Brejo apresenta uma zona […]

No Centro de Interpretação do PAVT em Bobadela são cedidos mapas com a informação técnica indispensável para a realização dos roteiros.


Fonte: Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho 2014, Rotas do Parque Arqueológico do Vale do Terva, Câmara Municipal de Boticas, Boticas. / Fotografia: TR

SUGERIR CORREÇÃO

 


PUB
0

Carrinho