Mamoa e Castro do Outeiro Lesenho

Mamoa de Chã do Lesenho

A Mamoa de Chã do Lesenho é um monumento funerário megalítico (período cronológico-cultural: ± 4000 a. C. / Neolítico), composto por câmara sob tumulus de terra e pedras, que forma uma pequena elevação (a mamoa). Aproximadamente ao centro são visíveis quatro esteios da câmara e a laje de cobertura, deslocada.

 

 

Castro do Outeiro Lesenho

O Castro do Outeiro Lesenho coroa o monte do mesmo nome, que se eleva aos 1078 metros de altitude, daí se dominando uma ampla paisagem que abarca praticamente todo o concelho de Boticas.

 

Trata-se de um dos mais conhecidos povoados fortificados da Idade do Ferro do noroeste peninsular, não só pela sua dimensão e monumentalidade, mas sobretudo por lhe estar associado o maior conjunto de estátuas de guerreiros galaico-romanos.

Classificado como Imóvel de Interesse Público, tem sido objeto de continuados projetos de estudo, conservação e valorização, promovidos pelo Município de Boticas.

O castro do Outeiro Lesenho faz parte da Rede de Castros do Noroeste.

 

Localização

A 12 km (21 minutos de carro) da sede de concelho via R311 (direção Salto) e M519 (direção aldeia de Campos). Quando encontrar uma placa virada para um estradão, estacione e siga os restantes 800 metros (distância até ao castro) a pé.

 

[wpgmza id=”16″]

 

Fontes: CEDIEC; Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho 2016, Boticas o Espírito dos Lugares, Boticas. / Fotografia: TR

SUGERIR CORREÇÃO

 


PUB